CEFAS ALVES MEIRA repositorio ufmg br

Cefas Alves Meira Repositorio Ufmg Br-PDF Download

  • Date:02 Jul 2020
  • Views:5
  • Downloads:0
  • Pages:29
  • Size:2.48 MB

Share Pdf : Cefas Alves Meira Repositorio Ufmg Br

Download and Preview : Cefas Alves Meira Repositorio Ufmg Br


Report CopyRight/DMCA Form For : Cefas Alves Meira Repositorio Ufmg Br


Transcription:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG,FACULDADE DE CI NCIAS ECON MICAS FACE. CENTRO DE P S GRADUA O E PESQUISA EM ADMINISTRA O,CURSO DE ESPECIALIZA O EM GEST O ESTRAT GICA CEGE. TABLETS LEITORES DIGITAIS E OS E BOOKS O LIVRO IMPRESSO. EST COM OS DIAS CONTADOS,Cefas Alves Meira,Orientador Prof Dr Ricardo Teixeira Veiga. Belo Horizonte, O presente trabalho uma breve an lise sobre o impacto dos e books livros. eletr nicos no mercado editorial brasileiro O surgimento de tecnologias que. permitem a digitaliza o de conte dos e consequentemente aumenta o. acesso as informa es que passam a ser publicadas com mais rapidez nos. faz questionar sobre o destino das publica es impressas. O lan amento de e readers como o Kindle e tablets como o iPad. aumentaram a divulga o de livros eletr nicos no pa s Segundo um estudo. realizado pela Bain Company no qual foram ouvidos 3 000 pessoas em seis. pa ses EUA Coreia do Sul Reino Unido Alemanha Jap o e Fran a cerca. de 25 dos livros vendidos nos maiores mercados consumidores do mundo. ser o em formato digital, Frente a esse cen rio surge a discuss o de como o mercado editorial.
brasileiro ir se adaptar a digitaliza o de conte do Com isso essa mostra. que a m dia impressa em especial os livros ainda ter o o seu espa o no. mercado editorial mesmo que reduzido em rela o as inova es tecnol gicas. Palavras chave tecnologia e book mercado editorial m dia impressa livros. This paper is a brief analysis of the impact of e books electronic books in the. brazilian publishing market The emergence of technologies that allow the. scanning of content and therefore increases access to information which gets. published faster makes us question about the future of printed publications. The launch of e readers such as Kindle and tablets as the iPad increased. spreading of electronic books in the country According to a survey by Bain. Company which were heard 3 000 people in six countries USA South Korea. UK Germany Japan and France about 25 of books sold in major consumer. markets in the world will be in digital format, Facing this scenario rises is discussion of how the Brazilian publishing market. will adapt to scanned content Thus this shows that the print media specially. the books will still have its place in the publishing market even though small in. relation to technological innovations, Keywords technology e book publishing market press media books. 1 INTRODU O 5,2 OBJETIVOS 8,2 1 Objetivo geral 8,2 2 Objetivos espec ficos 8. 3 REFERENCIAL TE RICO 9,3 1 Origem do livro 9,3 2 O livro no Brasil 10. 3 3 Produ o editorial no Brasil 12,3 4 Panorama atual da leitura no Brasil 14.
3 5 O livro e o processo de comunica o 15,4 O ADVENTO DA INTERNET 18. 4 1 A internet no Brasil 20,5 SURGIMENTO DOS E BOOKS 22. 5 1 O conceito de e readers 22, 5 2 O impacto dos livros eletr nicos no mercado 23. 6 CONCLUS O 25,7 REFER NCIAS 27,1 INTRODU O, O mercado de livros sofreu poucas altera es desde o surgimento da imprensa. quando os livros passaram a ser impressos em grande escala e foram. popularizados Na primeira d cada do s culo XXI no entanto apareceram novas. oportunidades e amea as para o setor O uso da internet difundiu se entre a. popula o e o avan o nos setores de inform tica e comunica o permitiu o advento. dos livros eletr nicos O Kindle produto da empresa Amazon detentor da maior fatia. do mercado de livros eletr nicos surgiu em 2007 e desde ent o vem conquistando. cada vez mais adeptos O crescimento do mercado de livros eletr nicos nos faz. refletir sobre o futuro dos livros de papel e conseq entemente das editoras. Estamos vivendo em um momento em que sustentabilidade e pol ticas ambientais. s o fortemente discutidas e aplicadas em todos os segmentos da ind stria e. com rcio Ao analisarmos a quantidade de rvores que s o destru das para a. obten o do papel e conseq entemente para a fabrica o de livros percebemos. que algo precisa ser feito para mudar esse cen rio Nesse contexto destaca se. como ecologicamente correto o surgimento dos livros eletr nicos os quais permitem. a mesma leitura mas de uma forma identificada com a sustentabilidade com a. preserva o ambiental, O avan o tecnol gico surge ent o como mola propulsora para a substitui o dos.
livros de papel pelos livros eletr nicos nascendo os e readers tablets. smartphones entre outros S o aparelhos muito requisitados pela popula o. sobretudo os adolescentes e jovens a chamada gera o Y que j nasceram no. ambiente digital A cada dia esses aparelhos v m conquistando mais espa o sendo. utilizados por todas as faixas et rias tanto para a leitura de jornais quanto para a de. obras liter rias, Contribuindo tamb m para o aumento da prefer ncia pelos livros eletr nicos. podemos apontar a praticidade dos mesmos muito mais leves que os livros de. papel pode se carregar mais de uma obra em um nico aparelho agilidade para. acesso s obras f cil realiza o de downloads n o sendo necess ria a ida at uma. livraria ou aguardar o livro chegar por correio e o custo reduzido comparado aos. livros tradicionais, Por m a aceita o dos livros eletr nicos tamb m sofre algumas barreiras. exacerbado o tradicionalismo de alguns grupos de pessoas que insistem em. acreditar que o livro de papel jamais conseguir ser substitu do por uma ferramenta. eletr nica no Brasil Outro fator que atrasa um pouco essa novidade em nosso pa s. a dificuldade que a maior parte da popula o tem em adquirir esse aparelho tanto. pelas condi es financeiras da popula o como pelo analfabetismo tecnol gico. Por fim n o podemos deixar de ressaltar que mesmo com muita aceita o ou n o. dos consumidores a proposta do livro eletr nico sofrer algumas barreiras naturais. como a dificuldade de construir um acervo t o rico quanto o acervo de obras. liter rias impressas, A partir dos pontos apresentados anteriormente iniciamos uma an lise sobre o futuro. das editoras de livros no mercado editorial brasileiro as quais de alguma forma. ter o que se adaptar s mudan as e avan os tecnol gicos. No caso do Brasil o pa s tem passado por um momento de crescimento econ mico. nos ltimos anos Pol ticas de inclus o social e fatores externos como as crises. econ micas que se abateram sobre os Estados Unidos e Europa a partir de 2008. t m contribu do para fortalecer nossa economia nossa moeda e nosso mercado. interno embora penalizando o setor de exporta es Segundo a Pesquisa Nacional. por Amostra de Domic lios PNAD 32 milh es de brasileiros foram al ados classe. m dia no per odo do governo Lula 2003 2008 Isso revela uma grande tend ncia. de aumento do consumo e uma excelente oportunidade para a ind stria. Esse cen rio acompanha a atual expans o do mercado de e books uma vez que. atualmente a Amazon com vende mais livros eletr nicos do que livros impressos. Outras editoras e distribuidoras come am a se adaptar gradualmente nova. modalidade medida em que os consumidores aderem aos novos h bitos. O mercado consumidor cresce impulsionado pelo desenvolvimento do pa s O Brasil. mant m a boa fase econ mica e as pol ticas de distribui o de renda amenizam a. desigualdade social O mercado interno agora a principal fonte de. desenvolvimento do pa s e empresas estrangeiras como a Amazon e nacionais a. Positivo disputam os leitores A concorr ncia acirrada promove a melhoria cont nua. da qualidade dos produtos e baixa os pre os aos consumidores o que atrai ainda. mais leitores, O Minist rio da Educa o em conformidade com pr ticas j consolidadas em outros. pa ses estimula a utiliza o dos livros e eletr nicos em todas as institui es. p blicas de ensino visando redu o de custos inclus o digital e preserva o. do meio ambiente O combate pirataria se intensifica no que diz respeito aos e. books Novos formatos criptografados s o desenvolvidos inibindo a c pia e a. distribui o de produtos ilegais, Os autores t m seus direitos autorais preservados e apoiam a nova modalidade.
Simultaneamente o mercado brasileiro atrai v rias empresas e a concorr ncia. estimula a pesquisa e o aprimoramento dos leitores de livros eletr nicos Os custos. s o reduzidos e os leitores beneficiados, Os e books consolidam se como a forma mais popular de difus o de conhecimento. e os stakeholders de maneira geral beneficiam se com o novo conceito de livro. Ocorre uma revolu o do conhecimento compar vel inven o da imprensa por. Gutenberg no s culo XV, Diante desse panorama pol tico econ mico e social o eixo central deste trabalho. analisar se houve impacto na venda de livros no Brasil ap s o lan amento dos e. 2 OBJETIVOS,1 2 Objetivo Geral, Verificar o impacto na venda de livros no Brasil ap s o lan amento dos e books. 1 3 Objetivos Espec ficos,Averiguar a ades o dos consumidores aos e books. Verificar se o consumo de livros impressos est amea ado devido exist ncia dos. 3 REFERENCIAL TE RICO, A revis o de literatura inicia se pela origem do livro no mundo e no Brasil.
ressaltando o princ pio da produ o editorial passa pelo surgimento da internet e a. sua chegada no Brasil e por fim faz um breve panorama sobre as novas. tecnologias que envolvem o mercado editorial atual como o uso de tablets e books. e e readers pelos leitores,3 1 Origem do livro, Os livros impressos surgiram concomitantemente com a nossa pr pria sociedade. moderna com registros que superam 4 mil anos O suporte para o registro da. hist ria e conhecimentos humanos variou ao longo dos s culos Os sum rios por. exemplo guardavam suas informa es em tijolo de barro J os indianos faziam. seus livros em folhas de palmeiras Os maias e os astecas antes do descobrimento. das Am ricas escreviam os livros em um material macio existente entre a casca das. rvores e a madeira Os romanos escreviam em t buas de madeira cobertas com. cera CALDEIRA 2002, Os eg pcios desenvolveram a tecnologia do papiro uma planta encontrada s. margens do rio Nilo suas fibras unidas em tiras serviam como superf cie resistente. para a escrita hier glifa Os rolos com os manuscritos chegavam a 20 metros de. comprimento O desenvolvimento do papiro deu se em 2200 a C e a palavra. papiryrus em latim deu origem a palavra papel, Nesse processo de evolu o surgiu o pergaminho feito geralmente da pele de. carneiro que tornava os manuscritos enormes e para cada livro era necess ria a. morte de v rios animais, No in cio do s culo 2 na China surgiu o papel Feito a partir do c rtex de plantas. tecidos velhos e fragmentos de rede de pesca sua produ o baseava se no. cozimento de fibras do l ber casca interior de certas rvores e arbustos. estendidas por martelos de madeira at se formar uma fina camada de fibras. Posteriormente as fibras eram misturadas com gua em uma caixa de madeira at. se transformar numa pasta Mas a inven o levou muito tempo at chegar ao. Segundo Caldeira 2002 o papel um dos suportes mais importantes para a. divulga o de informa es Dados hist ricos mostram que o papel foi muito. difundido entre os rabes e que foram eles os respons veis pela instala o da. primeira f brica de papel na cidade de J tiva Espanha em 1150 ap s a invas o da. Pen nsula Ib rica, No final da Idade M dia a import ncia do papel cresceu com a expans o do.
com rcio europeu e tornou se produto essencial para a administra o p blica e para. a divulga o liter ria, Apesar dos registros a concep o de livro da forma que conhecemos se consolidou. a partir do s culo XV com o surgimento da imprensa de Gutenberg Ele inventou o. processo de impress o com caracteres m veis denominado tipografia De acordo. com Caldeira 2002 em 1442 foi impresso o primeiro exemplar em uma prensa Em. 1448 na Alemanha Gutenberg volta sua cidade natal e d in cio a uma sociedade. comercial com Johann Fust fundando a F brica de Livros nome original Werk der. Buchei Entre as produ es est a conhecida B blia de Gutenberg de 42 linhas. A partir do s culo XIX aumenta a oferta de papel para impress o de livros e jornais. al m das inova es tecnol gicas no processo de fabrica o O papel passa a ser. feito de forma mec nica e deixa de ser artigo de luxo tornando se mais barato. Dessa forma foi poss vel a propaga o das t cnicas de impress o e. consequentemente dos livros para todo o globo chegando at o Brasil. 3 2 O livro no Brasil, Segundo Carvalho 1908 a primeira tentativa efetiva de introduzir a tipografia no. Brasil foi feita pelos holandeses durante o per odo em que ocuparam o nordeste. brasileiro entre 1630 e 1650 Cerca de 60 anos depois Recife teve a primeira. impressora do Brasil, Em contrapartida Serafim Leite 2004 relata que a impressora funcionou de 1703 a. 1706 e defende que o tip grafo era um jesu ta Ant nio da Costa mas n o h. nenhuma prova entretanto da exist ncia de tal impressora. No Rio de Janeiro em 1747 h provas definitivas de ter havido uma impressora por. meio de folhetos impressos na poca O tip grafo era Ant nio Isidoro da Fonseca. reconhecido tip grafo de Lisboa que vendera l seu neg cio e viera para o Brasil. Segundo Hallewell 1985 a proibi o de Portugal para a impress o no Brasil foi o. fator que fez com que todos os originais brasileiros passassem a ser publicados na. Europa ou a permanecer na forma de manuscritos H v rios trabalhos escritos por. brasileiros e impressos na poca em Portugal entre eles as poesias de Cl udio. Manoel da Costa trabalhos de Jos de Santa Rita Dur o Jos Bas lio da Gama. autor de Uruguai de 1769 Tom s Ant nio Gonzaga cuja obra Mar lia de Dirceu. Cefas Alves Meira Orientador Prof Dr Ricardo Teixeira Veiga Belo Horizonte 2011 RESUMO O presente trabalho uma breve an lise sobre o impacto dos e books livros eletr nicos no mercado editorial brasileiro O surgimento de tecnologias que permitem a digitaliza o de conte dos e consequentemente aumenta o acesso as informa es que passam a ser publicadas com mais rapidez nos

Related Books